sobre

Doutora em ciência da informação pela Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, com uma tese sobre memória e escrita de mulheres negrasMestra em educação também pela USP.

Autora de Arruda e guiné: resistência negra no Brasil contemporâneo (Fósforo, 2022), Continuo preta: a vida de Sueli Carneiro (Companhia das Letras, 2021) e Quando me descobri negra (SESI-SP, 2015).

Organizadora das coletâneas Inovação Ancestral de Mulheres Negras: táticas e políticas do cotidiano ( Oralituras, 2019), Vozes Insurgentes de Mulheres Negras: do século XVIII à primeira década do século XXI (Mazza Edições/ Fundação Rosa Luxemburgo, 2019), e Recursos Educacionais Abertos: práticas colaborativas e políticas públicas (Edufba/Casa de Cultura Digital, 2012). Foi colunista de ECOA-UOL e das revistas Gama e Cult.

É associada da SOF – Sempreviva Organização Feminista e compõe os conselhos da Casa do Povo, Artigo 19, Oxfam Brasil e dos institutos Marielle Franco e Vladimir Herzog.

Foi professora do curso de jornalismo da Faculdade Cásper Líbero.

Atualmente, é diretora-executiva da Casa Sueli Carneiro, que compõe a Coalizão Negra por Direitos. Comentarista do Jornal da Cultura. Professora da pós-graduação em estratégias de comunicação digital da Fundação Getúlio Vargas.

contato: biancasantana [arroba] gmail.com

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s